sexta-feira, 30 de junho de 2017

CAPÍTULO XCVI / A CARTA ANÔNIMA

       


Senti tocar-me no ombro; era Lobo Neves. Encaramo-nos alguns instantes, mudos, inconsoláveis. Indaguei de Virgília, depois ficamos a conversar uma meia hora. No fim desse tempo, vieram trazer-lhe uma carta; ele leu-a, empalideceu muito, e fechou-a com a mão trêmula. Creio que lhe vi fazer um gesto, como se quisesse atirar-se sobre mim; mas não me lembra bem. O que me lembra claramente é que durante os dias seguintes recebeu-me frio e taciturno. Enfim, Virgília contou-me tudo, daí a dias na Gamboa.
O marido mostrou-lhe a carta, logo que ela se restabeleceu. Era anônima e denunciava-nos. Não dizia tudo; não falava, por exemplo, das nossas entrevistas externas; limitava-se a precavê-lo contra a minha intimidade, e acrescentava que a suspeita era pública. Virgília leu a carta e disse com indignação que era uma calúnia infame.
— Calúnia? perguntou Lobo Neves.
— Infame.
O marido respirou; mas, tornando à carta, parece que cada palavra dela lhe fazia com o dedo um sinal negativo, cada letra bradava contra a indignação da mulher. Esse homem, aliás intrépido, era agora a mais frágil das criaturas. Talvez a imaginação lhe mostrou, ao longe, o famoso olho da opinião, a fitá-lo sarcasticamente, com um ar de pulha; talvez uma boca invisível lhe repetiu ao ouvido as chufas que ele escutara ou dissera outrora. Instou com a mulher que lhe confessasse tudo, porque tudo lhe perdoaria. Virgília compreendeu que estava salva; mostrou-se irritada com a insistência, jurou que da minha parte só ouvira palavras de gracejo e cortesia. A carta havia de ser de algum namorado sem-ventura. E citou alguns, — um que a galanteara francamente, durante três semanas, outro que lhe escrevera uma carta, e ainda outros e outros. Citava-os pelo nome, com circunstâncias, estudando os olhos do marido, e concluiu dizendo que, para não dar margem à calúnia, tratar-me-ia de maneira que eu não voltaria lá.
Ouvi tudo isto um pouco turbado, não pelo acréscimo de dissimulação que era preciso empregar de ora em diante, até afastar-me inteiramente da casa do Lobo Neves, mas pela tranqüilidade moral de Virgília, pela falta de comoção, de susto, de saudades, e até de remorsos. Virgília notou a minha preocupação, levantou-me a cabeça, porque eu olhava então para o soalho, e disse-me com certa amargura:
— Você não merece os sacrifícios que lhe faço.
Não lhe disse nada; era ocioso ponderar-lhe que um pouco de desespero e terror daria à nossa situação o sabor cáustico dos primeiros dias; mas se lho dissesse, não é impossível que ela chegasse lenta e artificiosamente até esse pouco de desespero e terror. Não lhe disse nada. Ela batia nervosamente com a ponta do pé no chão; aproximei-me e beijei-a na testa. Virgília recuou, como se fosse um beijo de defunto.









Recomendamos para você:


História

Cronologia da Terra

Just Go #JustGo

Despacito Remix - Luis Fonsi Feat. Justin Bieber, Daddy Yankee

Top 10 - Poemas

LETRAS DE MÚSICAS – SONG LYRICS

Despacito Remix - Tradução em Português - Luis Fonsi Feat. Justin Bieber, Daddy Yankee

Amor é fogo que arde sem se ver - Luís Vaz de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver - Luís Vaz de Camões

O Navio Negreiro - Castro Alves

O Navio Negreiro - Castro Alves

Canção do exílio - Gonçalves Dias

Sanderlei Silveira

Canção do exílio - Gonçalves Dias

Canção do exílio - Gonçalves Dias

Prédios mais altos do mundo

As festas populares em Santa Catarina

As festas populares no estado de São Paulo

As festas populares no estado do Paraná

As festas populares do estado de Mato Grosso do Sul

As atividades econômicas no estado de Santa Catarina

As atividades econômicas do estado de São Paulo

As atividades econômicas do Mato Grosso do Sul

Sanderlei Silveira

As atividades econômicas do estado do Paraná

Clima e relevo no estado de Santa Catarina

O relevo do estado de São Paulo

Relevo do estado de Mato Grosso do Sul

Clima e relevo do estado do Paraná

Biblia Sagrada - João Ferreira de Almeida

O Diário de Anne Frank

Aruba

Os imigrantes no estado de Santa Catarina no século XX

Sanderlei Silveira

Os imigrantes e o trabalho assalariado no século XIX em São Paulo

Os imigrantes no século XIX e XX no estado do Paraná

Biomas brasileiros

Poesia

Poemas

Poetry

Sanderlei Silveira

Sanderlei Silveira

OLHOS DE RESSACA

História em 1 Minuto

Sanderlei Silveira

Jane Austen

Paraná - Conheça seu Estado (História e Geografia)

Song Lyrics - Letras Música - Tradução em Português

Snow Birds - Louis Honoré Fréchette

Migos

Economia

BÍBLIA ONLINE

DOM CASMURRO

Memórias Póstumas de Brás Cubas

by Sanderlei Silveira -  http://sanderlei.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário